Ônibus circulam lotados em Palmas e passageiros ficam com medo de transmissão da Covid-19

0
16


Prefeitura diz que há fiscalização e controle para não que não haja aglomerações, mas nos ônibus e estações não há distanciamento. Ônibus em Palmas ficam lotados e passageiros temem contaminação pela Covid-19
Moradores que dependem do transporte público em Palmas vivem com medo da transmissão da Covid-19. É que em várias linhas os ônibus ficam lotados e não há distanciamento necessário para evitar a transmissão do vírus. As aglomerações começam nas estações. A Prefeitura afirma que os veículos circulam com 50% da capacidade, mas as imagens mostram várias pessoas aglomeradas. (Veja o vídeo)
É possível ver, com frequência, todos os acentos dos ônibus ocupados e pessoas em pé dentro dos veículos. Sem opção e com necessidade de se locomover, os usuários enfrentam a situação. Segundo eles, não há fiscalização para controlar a lotação dos veículos nem medidas preventivas contra a doença.
A diarista Elisângela de Sousa já foi diagnosticada com Covid-19 e fica preocupada.
“Agora está lotado. Antes, há uns três meses atrás, não estava tanto. A gente pega [o ônibus] lotado para ir para o serviço e para voltar também. Com uma contaminação dessas que tem que ficar distante e está todo mundo junto dentro do ônibus, todo mundo pegando. Ninguém sabe quem está contaminado”.
A Prefeitura de Palmas informou que há fiscalização e que dentro dos veículos há disponibilização de álcool em gel. Disse ainda que, “cabe ao passageiro o uso de máscaras de proteção individual e distanciamento mínimo de 1,5 a 2 metros no interior dos veículos”. Leia nota na íntegra ao fim da reportagem
A vendedora Elma Barros acha que a quantidade de ônibus circulando não é suficiente.
“Eu não estou vendo fiscalização, sinceramente. Vejo em um ponto específico, mas não passa disso. Acho que teria que disponibilizar mais ônibus, principalmente nos horários de pico, para poder reduzir a quantidade de pessoas dentro dos ônibus”, disse.
Estações e ônibus ficam lotados mesmo em meio a pandemia
Reprodução/TV Anhanguera
Enquanto alguns locais não seguem as recomendações, outros são exemplo. Um hospital especializado em atendimento oftalmológico redobrou os cuidados. Na unidade há disponibilização de álcool em gel, corrente para manter distanciamento entre atendentes e pacientes, e marcação em cadeiras.
O médico infectologista Raphael Biscaia afirma que todas as pessoas devem continuar com cuidados básicos. “Mantermos o distanciamento de pelo menos um metro entre as pessoas, mantermos a máscara no nariz e cobrindo a boca e realizar a assepsia das mãos com o álcool 70 antes de entrar no coletivo”, disse.
O que diz a Prefeitura de Palmas
A Prefeitura de Palmas informa que o cumprimento das medidas de contenção do novo coronavírus é também um dever individual e visa a proteção recíproca de todos os cidadãos. Desta forma, cabe ao passageiro o uso de máscaras de proteção individual e distanciamento mínimo de 1,5 a 2m no interior dos veículos. Esclarece ainda que todas as janelas devem ficar abertas e não há demarcações nas poltronas em decorrência da exigência do distanciamento mínimo. A capacidade máxima permitida é de 50% da lotação do veículo, e a orientação é que o usuário evite embarcar em ônibus com mais de 50% da capacidade máxima permitida.
Equipes de fiscalização monitoram a operação nos horários de pico, buscando o controle da lotação e se há disponibilização de álcool em gel no interior dos veículos. As estações e os pontos de ônibus são desinfectados frequentemente e os veículos passam por higienização e limpeza interna e externa diariamente.
Passageiros de ônibus ficam aglomerados em Palmas
Reprodução/TV Anhanguera
Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins